Total de visitas: 16998

Jornalismo 3.0

Jornalismo 3.0

A tecnologia digital, propulsora da revolução que vem transformando o mundo nas últimas
décadas, impactou fundamentalmente todos os processos de produção da sociedade contemporânea.
O jornalismo, que compartilha sua matéria prima - informação - com a tecnologia, não é exceção.
Enquanto os tradicionais meios de comunicação ainda buscam reorganizar seu modelo de negócio diante do novo cenário, novas formas de produção, tratamento e distribuição de notícias e informações estão sendo criadas e experimentadas em todo o planeta.
A somatória de equipamentos, tão poderosos quanto acessíveis, com a profusão de aplicativos e com as dinâmicas sociais fortemente impactadas pela era da informação, fornece as condições para um ambiente de inovações e rupturas em diversos níveis do fazer jornalístico.
Paralelamente, no plano social, um novo fenômeno tomou conta de diversos países nos
últimos anos. Ao analisar as manifestações que se iniciaram em São Paulo e se alastraram por
capitais brasileiras destaca-se a capacidade de auto-organização instantânea e espontânea de grupos sociais.
Este fenômeno já havia se manifestado em outras partes do mundo, como o movimento 15M, na Espanha, em maio de 2011, o turco Diren Geziocorrido em maio de 2013, e o Occupy Wall Street, realizado em Nova York em setembro de 2011.
Embora desencadeados por motivações diferentes, estes movimentos apresentam
características comuns. Organizados via internet, tinham organização policêntrica e envolviam
diferentes grupos políticos.
No Brasil, tudo começou com um protesto contra o aumento do preço
das passagens de ônibus, em São Paulo. Realizado no dia 6 de junho de 2013, a manifestação foi fortemente reprimida pela Polícia Militar, desencadeando uma série de protestos por todo o país.
Milhares de pessoas que se organizaram por meio das redes sociais, repetindo o modelo de
arquitetura de convocação e mobilização observado da Espanha à Turquia. O uso das tecnologias digitais, conectando instantaneamente milhões de pessoas, produzindo, compartilhando e consumindo informações, estão levando a uma revolução nas formas de organização política e de comunicação social.